Monday, July 25, 2016

Muestra: "Zona Intertropical de Convergencia" en El Bolson


Tercera parada "Zona Intertropical de Convergencia". La muestra reúne una selección de obras realizadas durante Noviembre/Diciembre del 2015, y Enero/Febrero del 2016, algunas de ellas se encontraran en exhibición por primera vez.

Abierta al publico desde el 18 de Agosto. Brindis de Inauguración: Viernes 19 de Agosto a las 19hs.

Lugar: Casa de la Historia y la Cultura Del Bicentenario El Bolsón, 25 de Mayo Y Roca. 



Proximas paradas de "Zona Intertropical de Convergencia":
- Museo Regional, Trevelin, Chubut - Septiembre 2016.
- Ciudad Autonoma de Buenos Aires - Noviembre 2016.

Paradas Anteriores:
- Necochea, Feb y Mar 2016.
- Mar del Plata, Ene. 2016.

https://www.flickr.com/josemariacasas
https://www.behance.net/josemariacasas


Saturday, July 23, 2016

Muestra: "Zona Intertropical de Convergencia" en Trevelin


Cuarta parada "Zona Intertropical de Convergencia". La muestra reúne una selección de obras realizadas durante Noviembre/Diciembre del 2015, y Enero/Febrero del 2016, algunas de ellas se encontraran en exhibición por primera vez.

Inauguración: 2 de Septiembre.

Lugar: Museo Regional, Molino Viejo 488, Trevelin, Chubut. 


Cierre: 18 de Septiembre.

Proximas paradas de "Zona Intertropical de Convergencia":
- Ciudad Autonoma de Buenos Aires - Noviembre 2016.
- Calafate, Ene/Mar 2017.

Paradas Anteriores:
- El Bolson, Ago. 2016.
- Necochea, Feb y Mar 2016.
- Mar del Plata, Ene. 2016.

https://www.flickr.com/josemariacasas
https://www.behance.net/josemariacasas

Thursday, July 21, 2016

Destino Sur: dos nuevas paradas de la gira de "Zona Intertropical de Convergencia"


Muestra: "Zona Intertropical de Convergencia"


Anunciamos la Tercera (El Bolson) y Cuarta (Trevelin) parada de la gira de "Zona Intertropical de Convergencia". La muestra reúne una selección de obras realizadas durante Noviembre/Diciembre del 2015, y Enero/Febrero del 2016, algunas de ellas se encontraran en exhibición por primera vez.


El Bolson: Abierta al publico desde el 18 de Agosto. Brindis de Inauguración: Viernes 19 de Agosto a las 19hs. Lugar: Casa de la Historia y la Cultura Del Bicentenario El Bolsón, 25 de Mayo Y Roca. Cierre: 31 de Agosto. RSVP en: https://www.facebook.com/events/1091114567662853/

Trevelin: Inauguración: Viernes 2 de Septiembre a las 19hs. Lugar: Museo Regional, Molino Viejo 488. Cierren: 12 de Septiembre. RSVP en: https://www.facebook.com/events/1660574957596919/ 



Proximas paradas de "Zona Intertropical de Convergencia":
- Ciudad Autonoma de Buenos Aires - Noviembre 2016.
- Calafate, Ene/Mar 2017.

Paradas Anteriores: 
- El Bolson, Ago. 2016.
- Necochea, Feb y Mar 2016.
- Mar del Plata, Ene. 2016.

https://www.flickr.com/josemariacasas
https://www.behance.net/josemariacasas

Tuesday, March 01, 2016

Colectiva "Astucia do Corpo" en Florianapolis, Brasil


Quando: 03 Março 2016, Quinta-feira, às 19 horas
Onde: O Sítio Arte Educação Coworking
Endereço: Rua Francisca Luísa Vieira, 53 – Lagoa da Conceição
Quanto: Gratuito
Visitação de 4 a 26 de março, de segunda à sexta das 14h às 21h
Qual estratégia inventada para lidar com a realidade? De qual dispomos, selecionamos ou nos sugestionamos? A Astúcia do corpo é a forma como percebemos e nos relacionamos com o caos ao redor de nós mesmos. Na arte de reproduzir e traduzir – respirar novas regras de vida, política e cultura nos levam ao enfrentamento ou simplesmente ao movimento. É o corpo pensante. Como se este corpo transformasse, materializasse.
Astúcia do Corpo: respirar e entorpecer mostra a astúcia dos artistas ou suas inteligencias, determina escolhas, posicionamentos e assim revela categorias de seres em corpos ora sofridos, ora etéreos ou coloridos. Da ciência à poesia universal, o corpo humano é sinônimo de reprodução e criação artística. Por sua multiplicidade de formas e idealizações, torna-se justamente um corpo que transforma e materializa.
São 9 artistas, 4 do Sul do Brasil, 2 argentinos e um do mexicano, juntos mesclam técnicas, estilos, desejos estéticos, estimulam e provocam o olhar, entre o respirar o entorpecer do enfrentamento.
SOBRE OS ARTISTAS
Brasil:
Francis Silva – Santa Fé/ RN
Mario Schuster – Pelotas / RS
José Luiz Pellegrin -Morro da Fumaça /SC
Clau Paranhos – Porto Alegre / RS
Rejane Brayer – Santa Vitoria do Palmar/
Zenilda Cardoso – Porto Alegre / RS
Argentina:
Fer Pietra – Buenos Aires
José Maria Cassas – Buenos Aires
México:
Raúl Castillo – Cidade do Mexico
Brasil:
Francis Silva – Santa Fé/ RN
Francisca Alves da Silva, que assina Francis Silva, é formado em Artes Visuais, com pós-graduação em Patrimônio Cultural Conservação de Artefatos Pela UFP; teve orientação de Jailton Moreira e cursou de História da Arte com Maria Helena Bernardes, AREAL ambos em Porto Alegre e fez curso de Curadoria de Arte Contemporâneo pelo Visions of Art Node Center for Curatorial Studies – Berlín, Artista visual, produtora e autora do projeto Internacional EntreLínguas; foi Membro do Colegiado Setorial de Artes Visuais da SECRGS, fez curso em política de arte- sistema de arte contemporânea – Curatoria Forense Latinoamérica. Participou de varias exposições individuais e coletivas em vários estados do Brasil, na Argentina, no México e Colômbia, foi ganhador de bolsas de estudos e prêmios em salões.
Mario Schuster – Pelotas / RS
Natural de Pelotas, RS, é bacharel em Pintura pela UFPEL desde 2007. Realizou várias exposições individuais na cidade de Pelotas, Arroio Grande, RS e na Fundação Hassis, Florianópolis. Participou de exposições coletivas em Pelotas, Porto Alegre, Natal­ RN, e na Anjos ArtGalery, em ­São Paulo ­SP, destancando entre elas, ­Festival Internacional de Cultura Livre (FicLivre) ­e Fórum Social Mundial – POA. Participou de coletivas em Buenos Aires, Argentina ,Colombia e Mexico. Foi premiado no I Salão de Artes Plásticas – ­Centro Cultural Basilio Conceição ­Arroio Grande­/RS e selecionado no Salão João Simões Lopes Neto ­MALG, em Pelotas/RS
José Luiz Pellegrin – Morro da Fumaça /SC
Nascido em Morro da Fumaça, 1953. Vive e trabalha em Pelotas, no Rio Grande do Sul. Atua como professor no Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas/RS. Desenvolve trabalhos em extensão com coordenação de mostras e curadoria desde os anos 1990. Integra a Comissão de Curadoria do Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo/MALG. É licenciado em Artes Visuais e graduado em Pintura pela UFPEL. Possui mestrado e doutorado em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo/ECA/USP. Tem apresentado trabalhos em mostras individuais, coletivas e salões desde 1990. Sua sobras tão em acervos públicos e particulares como: Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo/RS; Prefeitura Municipal de Santa Vitória do Palmar/RS; Prefeitura Municipal de Pelotas/RS; Museu de Arte Contemporânea/MAC/RS; Museu de Arte Moderna/MAM/SP. Transbrasil/SP; SESC. Avenida Paulista/SP; Centro Cultural Vergueiro. São Paulo/SP; Acervos particulares.
Clau Paranhos – Porto Alegre / RS
Cláudia da Silva Paranhos, é artista multimídia, performer, ilustradora e arte-educadora. Graduada em Licenciatura Plena em Artes Visuais e Bacharel em Artes Visuais – Pintura pela UFRGS. Atualmente é mestranda em Processos de Criação e Poéticas do Cotidiano, no Centro de Artes Universidade Federal de Pelotas. Participa desde 2004 do Coletivo Artístico Cow Bees, desde 2004, e cujo trabalho, o disco/show ASTROS IMAGINÁRIOS, ganhou o Prêmio Fumproarte/2009) e também selecionado e e publicada em catálogo no Salão Câmara Municipal de Porto Alegre, 2008. Participou de diversas exposição, entre elas:
Individual Bonecas Feias – SESC Porto Alegre, Coletiva Internacional ENTRELÍNGUAS, como artista e organizadora, em Pelotas, RS e Coletiva Concepciones de Tiempos Alterados – Gabinete 2577, Buenos Aires, Argentina, em 2015; Coletiva Desvenda – Memorial da América Latina, São Paulo, SP, em 2013
Individual Mostra de Desenhos – Casa das Artes Villa Mimosa, Convite Prefeitura e Individual Fábulas – Teatro de Arena, Porto Alegre, RS.em 2012;
Como arte-educadora, fez estágio no Colégio de Aplicação da UFRGS e no Hospital Psiquiátrico São Pedro; ministrou oficinas no Centro Universitário de Cultura e Arte (UNE/UFRGS); lecionou no Colégio Santa Rosa de Lima; foi Tutora na Formação de Mediadores EAD/Bienal do Mercosul e no Curso de Graduação à Distância (EAD) REGESD/UFRGS. Lecionou no Curso de Artes Visuais, Graduação à Distância (EAD) REGESD/UFRGS e ministrou, de 2010 a 2015, oficinas de Artes para crianças na Casa Elétrica – Espaço de Cultura, onde também foi sócia. Durante este período, realizou Oficinas de Artes Visuais para Crianças na Casa de Cultura Mário Quintana.
Rejane Brayer – Santa Vitoria do Palmar/
Artista Visual, formada em Artes Visuais, pela Universidade Federal de Pelotas/ RS
Participou de exposições Coletivas:
Cara & Coroa: mostra coletiva de desenho: Centro de Artes, Ufpel. Pelotas/RS, em 2006; Dissimilares Vistas: Antiga Laneira. Pelotas/RS, em 2013;
Exposição-Feira Lugares – Livro, em Pelotas/RS, em 2015 e 2013;
Espaços Inabitados. O QUE permanece?: Casarão da família Assumpção. Pelotas/RS. 2013; ll Mostra Internacional 5 x 5 de Arte Brasil: Pinacoteca Potiguar. Natal/RN. 2014; lll Mostra Internacional 5 x 5 de Arte Brasil: Espaço de Arte Ágape. Pelotas/Rs. 2014; Em Casa: Ateliê Centro de Artes, Ufpel. Pelotas/RS. 2014;
Trajetórias Divergentes: Galeria Centro de Artes, UFPEL. Pelotas/RS. 2014;
Um Refúgio e seus Fluidos: Sociedade Cultural Sigmund Freud. Pelotas/RS. 2014;
EntreLínguas: Mostra Internacional de Artes Visuais: DOBRAS o lugar infinito do tempo e das memórias, em Pelotas/RS, em 2015;
Zenilda Cardoso – Porto Alegre / RS
Gaúcha de Tupanciretã, atualmente reside em Porto Alegre. Graduada em Biologia e em Desenho e Plástica, é Doutora em Educação em Ciências pela UFRGS e trabalha na intersecção entre os campos da arte e das ciências, com ênfasena problematização dos discursos sobre o corpo na contemporaneidade. Participa de de individuais e coletivas no Brasil e exterior, como a coletiva Concepciones de Tiempos Alterados, em Buenos Aires, Argentina, em 2015, Mostra Internacional EntreLinguas, em 2009 e 2015, no Brasil e no Mexico. Coletiva 5 x 5, de 2001 e 2014, na Colômbia e no Brasil. Entre as exposições individuais, destacam-se Por um Fio, em Pelotas, RS, em 2013 e Doações do Corpo, em Porto Alegre, em 2009.
Sua página da web: http://doacoesdocorpo.blogspot.com/
Argentina:
Fer Pietra – Buenos Aires
Natural de Buenos Aires, é Licenciado em Artes Visuais pela UNA, na Argentina. Trabalha desde 2004 com cenografía, no Teatro Colón e como Docente da U.N.A. e no seu atelier particular. Participou de várias coletivas em Buenos Aires, Rosario e Mar del Plata, na Argentina e da Mostra Internacional Entre Linguas ­Brasil. Premiado nos Salões de Desenho da Sociedade Argentina de Artistas Plásticos, na Associação de Estimulo de Belas Artes e no Salão de Outono San Fernando, em Buenos Aires. Atualmente expõe uma individual, na galeria Agape, Pelotas.
José Maria Cassas – Buenos Aires
Jose Maria Cassas é natural de Mar del Plata, Argentina.Cursou estudos de cerámica, desenho, e pintura e analises de obras com vários professores.
Desde de 2002 tem realizado diversas exposições individuais na Argentina e
exposições coletivas em diversos países tais como : Argentina (Buenos Aires, La Plata, Rosario, Mar del Plata, Tres Arroyos, Quilmes, Monte Hermoso, Ushuaia, Necochea, Mendoza, Rio Gallegos, El Hoyo, Anquincila, San Jose, Quimilí, Resistencia, Salta Capital, San Salvador de Jujuy, Victoria, Colon, Miramar), Canadá (Montreal), Dinamarca (Aars), Escocia (Edimburgo), España (Barcelona, Córdoba, y Ferrol), Estados Unidos (New York), Honduras (Tegucigalpa), Irlanda (Dublín), Italia (Bari, Ferrara, y Trani), México (Mazatlán), Puerto Rico (San Juan de), Turquía (Estambul y Ankara), y Uruguay (Maldonado). Também é gestor cultural tendo organizado vários eventos em artes em Buenos Aires e Mar del Plata além de escrever artigos sobre arte para vária revistas locais. Atualmente dirige a Galeria Gabinete2577, em Buenos Aires.
Mexico:
Raúl Caudillo – Cidade do Mexico
Artista Visual, estudou Licenciatura de Artes Visuais no Instituto de Artes da Universidade Autônoma de Hidalgo, no México e fez residencia artística no Centro das Artes, da Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul. Foi aluno de entre outros dos doutores José Luiz de Pellegrin, no Brasil, Carmelo Pinto da Espanha e os mestres Enrique Jezik, na Argentina e Ulises Castellanos no México.
Atualmente, desenvolver trabalhos como artista CG. Realizou duas individuais no México: Mentiras, mentiras, mentiras …, México DF e na Fundación Hidalguense AC Pachuca Hidalgo, 2009, com o projeto Dibujando Mentiras Borrando Verdades. Participou de varias coletivas como, a Exposição internacional 5 x 5 Estado Pinacoteca, Natal RN 2014; X aniversário do Instituto de Artes, Pachuca, Hidalgo, em 2013; FINI 2012 Migração, Hidalgo, 2012; EntreLinguas 2011, Pelotas Rio Grande do Sul Brasil; Entrelinguas México 2011, em Hidalgo; Arte Emergente de Hidalgo, no Museo el cuartel del arte, Pachuca Hidalgo, em 2010 e Hecho en Hidalgo, México DF, 2009.

Wednesday, February 17, 2016

"Zona Intertropical de Convergencia" en Necochea - Sabado 20/2


Muestra: "Zona Intertropical de Convergencia" en Necochea

Segunda parada de "Zona Intertropical de Convergencia". La muestra reune una seleccion de obras realizadas durante Noviembre y Diciembre del 2015, y Enero del 2016; algunas de ellas no formaron parte de la muestra en Mar del Plata por lo cual se encontraran en Exhibicion por primera vez.

Inaugura: Sabado 20/2 a las 20:30 en Espacio de Arte Edith Lacoste, Av 91 esquina Calle 36, Necochea.

Cierra: Sabado 5/3.



Tuesday, February 16, 2016

EXPOSIÇÃO "Astúcia do Corpo: respirar e entorpecer" - Mostra Internacional com Curadoria de José Luiz Pellegrin



Qual estratégia inventada para lidar com a realidade? De qual dispomos, selecionamos ou nos sugestionamos? A Astúcia do corpo  é a forma como percebemos e nos relacionamos com o caos ao redor de nós mesmos. Na arte de reproduzir e traduzir – respirar novas regras de vida, política e cultura nos levam ao enfrentamento ou simplesmente ao movimento.   É o corpo pensante. Como se este corpo transformasse, materializasse.
Astúcia do Corpo: respirar/entorpecer mostra a astúcia dos artistas ou suas inteligencias, determina escolhas,  posicionamentos e assim revela categorias de seres em corpos ora sofridos, ora etéreos ou coloridos. Da ciência à poesia universal,  o corpo humano é  sinônimo de reprodução e criação artística. Por sua multiplicidade de formas e idealizações, torna-se justamente um corpo que transforma e materializa.
9 artistas, 4 do Sul do Brasil, 2 argentinos e um do mexicano, mesclam técnicas, estilos, desejos estéticos, estimulam e provocam o olhar, entre o respirar o entorpecer do enfrentamento.

PERÍODO
Abertura dia 03/03 às 19h
de 04 a 26 de março
VISITAÇÃO
Seg. à Sex: 9h às 21h
Sáb: 14h30 às 19h

Brasil:
Francis Silva – Santa Fé/ RN
Mario Schuster – Pelotas / RS
José Luiz Pellegrin  -Morro da Fumaça /SC
Clau Paranhos – Porto Alegre / RS
Rejane Brayer – Santa Vitoria do Palmar/
Zenilda Cardoso – Porto Alegre / RS
Argentina:
Fer Pietra – Buenos Aires
José Maria Cassas – Buenos Aires
México: